domingo, 5 de fevereiro de 2017

Cadê o capítulo que estava aqui? (Fangirl de Rainbow Rowell)


 SINOPSE: Cath é fã da série de livros Simon Snow. Ok. Todo mundo é fã de Simon Snow, mas para Cath, ser fã é sua vida – e ela é realmente boa nisso. Vive lendo e relendo a série, está sempre antenada aos fóruns, escreve uma fanfic de sucesso e até se veste igual aos personagens na estreia de cada filme.Diferente de sua irmã gêmea, Wren, que ao crescer deixou o fandom de lado, Cath simplesmente não consegue se desapegar. Ela não quer isso. Em sua fanfiction, um verdadeiro refúgio, Cath sempre sabe exatamente o que dizer, e pode escrever um romance muito mais intenso do que qualquer coisa que já experimentou na vida real.
Mas agora que as duas estão indo para a faculdade, e Wren diz que não a quer como companheira de quarto, Cath se vê sozinha e completamente fora de sua zona de conforto.
Uma nova realidade pode parecer assustadora para uma garota demasiadamente tímida. Mas ela terá de decidir se finalmente está preparada para abrir seu coração para novas pessoas e novas experiências.
Será que Cath está pronta para começar a viver sua própria vida? Escrever suas próprias histórias?


ESTE POST NÃO CONTÉM SPOILERS. MAS CONTÉM SINCERIDADE.


Sinceramente, acho que ficou faltando uns bons dois capítulos antes do final do livro. A autora colocou muitas perturbações na personagem sérias e interessantes de acompanhar, mas a verdade é que no final a maioria delas ficou em aberto.
Ao invés de termos um final com as coisas fechadinhas e com a Cath de fato lidando com seus problemas, na verdade é como se a protagonista tivesse começado no exato mesmo ponto em que terminou o livro.
Ouvi muito sobre Fangirl e devo dizer que fiquei sim um pouco decepcionada com o final. Pra mim senti como se o livro realmente tivesse uma falha da gráfica sabe? Se a palavra "FIM" não tivesse sido escrita eu realmente teria achado que meu livro chegou com defeito.
Esse é o primeiro livro que li da autora e demorei muito para realmente pegar o livro e começá-lo, mas o terminei em dois dias facilmente assim que o peguei. Rainbow Rowell criou um mundo interessante, mas não tão interessante ao ponto deste livro entrar na minha lista de favoritos.
Em muitos momentos a pena que a própria personagem tinha consigo mesma fazia com me sentisse mal e isso se tornava algo patético. Gostei de como várias coisas aconteceram, como Nick, o garoto que é um completo babaca. O que a autora colocou ali poderia ter ajudado a amadurecer a protagonista, mas na verdade acabou sendo usado de forma tão pobre que não passou de uma parte do final bem boba. Esse foi o maior problema com o livro, como a maioria do enredo foi completamente mal aproveitado.

Duas borboletas - É... Deu pra ler/assistir.

Levi é um personagem incrível por exemplo, ele é um doce de pessoa e é completamente apaixonado pela Cath. Tem paciência com ela e ama todas as loucuras da garota, mas até ele não foi bem aproveitado. Nós não sabemos exatamente o porque dele não conseguir ler direito livros, podemos apenas supor que ou é uma frescura dele ou ele de fato tem alguma coisa que o impede de ler como dislexia. E ainda tem o fato de como sabemos tão pouco sobre quem ele é, temos passagens de conversas entre ele a protagonista, mas não tivemos nem uma visita de Cath até a família dele, o que com certeza seria interessante não só para o relacionamento romântico deles como também para ver a Cath fora de sua zona de conforto. Levi o tempo todo tentava estar com ela e se desculpava por várias coisas enquanto ela ficava presa e iludida em um mundo surreal.
Eu sou uma fangirl completamente louca, assim como também sou escritora. Escrevo meus próprios livros, venho criando a existência de um multi-universo já faz alguns anos e ás vezes escrevo fanfics quando tenho vontade de viver alguma aventura com personagens que não são meus. E também tenho minhas perturbações como todo mundo, mas Cath começou com uma obsessão nada saudável que a fazia deixar de lado o seu dom de escrita para algo que pudesse ser só seu. Ela viveu naquele universo de Simon Snow por tanto tempo que acabou se perdendo ali dentro e quase perdendo a oportunidade de escrever algo realmente seu porque criava desculpas ridículas baseadas em seu amor pelos personagens.
Não me entendam mal, eu amo meus personagens fictícios sejam eles meus ou pertencentes a outros autores, e com toda certeza estou sempre rodeada de coisas de quadrinhos, Sherlock HolmesDoctor Who e Harry Potter ao ponto das pessoas me acharem louca, mas existe um limite. E Cath passava dele o tempo todo. Comecei o livro achando que veria a garota amadurecendo e descobrindo sua própria voz, mas basicamente li 424 páginas de uma garota perdida e reclamona para receber menos de uma página no final com um suposto texto que ela escreveu. A autora queria que acreditasse que tudo mudou depois daquilo? Ela simplesmente não me convenceu. Queria ver Cath falando com a Piper sobre o que estava escrevendo, queria ver Levi orgulhoso dela ao ouvi-la ler tudo pra ele. Queria ver também um futuro próximo com Cath publicando um livro e seus fãs da época das fanfics a seguindo e ela agradecendo a autora de Simon Snow por a ter ajudado a encontrar seu caminho, mas a verdade é que pela forma como Rainbow Rowell escreveu esse livro a estória de Simon pareceu ser algo que segurava a Cath em um ponto ruim ao invés de algo que a inspirava a fazer algo incrível.
Pensei que essa seria uma estória sobre uma adolescente descobrindo sua voz e descobrindo a si mesma, mas na verdade o livro inteiro pareceu ser um prefácio para o que realmente iria mudar a vida de Cath para melhor, lhe dar confiança em sua escrita, em suas ações.
Quando terminei o livro me senti bastante vazia e dái vem o título desde post. Realmente parecia que estava faltando um capítulo, ou quem sabe até mais de um.
Outro ponto que me decepcionou foi Reagan. Reagan pareceu ser uma personagem muito interessante desde que apareceu pela primeira vez, mas novamente a autora só a usou para momentos estratégicos que claramente podiam nem existir que não iriam fazer diferença. Reagan só estava ali para ser uma ponte para que Cath conhecesse Levi, e isso foi horrível porque ela realmente tinha potencial para grandes coisas.


E quanto ao livro dentro do livro, as grandes aventuras de Simon Snow. Vários trechos dos supostos livros apareciam aqui e ali entre a descrição da vida de Cath, e isso deveria fazer com que criássemos simpatia pelos personagens e entendêssemos o porque de Cath ser tão apaixonada por eles, mas a verdade é que até isso falhou. As aventuras de Simon Snow pareciam um Harry Potter ruim, e tudo bem, não é legal comparar nada com Harry Potter já que é óbvio que nada nunca vai ser tão bom quanto Harry Potter, mas foi isso o que senti em todos os momentos que lia os trechos que apareciam no livro relacionados a Simon e Baz.
As várias referências a cultura pop eram interessantes de primeira, mas acabavam perdendo a graça quando você percebia a inconsistência da personagem de Cath. Até pensei que estava sendo dura demais com esse livro por um tempo, mas não dá para empurrar algo ruim com a barriga e fingir que está bom. Simplesmente não dá.
O livro parece que foi algo forçado feito pela autora para que ela conseguisse dinheiro com várias garotas que se identificam com a garota que não se acha tão bonita assim, que acha que é problemática demais e que vive no mundo das fanfics e na internet. Mas pra mim isso acabou sendo um pouco desrespeitoso. É clichê e extremamente bobo. E com um enredo totalmente embolado que quando chega ao fim tem um monte de buracos e te deixa com muitas perguntas e umas duas ou três respostas.
Por boa parte do livro nem dá pra saber se a Cath gosta do Levi mesmo, e quando os dois finalmente ficam juntos ela fica toda preocupada, o que era de esperar com as dificuldades que se passavam na mente da personagem desde o início do livro, mas ai... As coisas se desenrolam e ela parece outra pessoa para só depois voltar ao mundo de Simon Snow e voltar a ser patética.
Ela só parecia ter personalidade em alguns segundos e no restante só ficava com pena de si mesma e reclamando sobre como não era tão incrível quanto a sua irmã gêmea. Haja paciência!
Quando o livro estava terminando senti como se algo incrível fosse acontecer e fiquei esperando ver a virada de mesa da Cath, de vê-la encontrando a si mesma não por causa de Levi, não por causa de Wren e não por causa de Simon Snow, mas por causa dela mesma e suas palavras, mas acabei ficando completamente decepcionada.
Acabei apenas encontrando personagens com potencial mal desenvolvidos e uma protagonista bem chatinha que sempre que chegava a um ponto de partida dava dois passos para trás.
Sim, tinha muito potencial em Fangirl... Mas a autora pareceu que estava com preguiça de dar um desfecho que preste e elaborar melhor os problemas dos personagens.
Nem a clara doença do pai das gêmeas não foi elaborada de um jeito interessante e me deixou com muitas dúvidas. E ainda teve todo o caso em aberto com a mãe das meninas, nem vou me aprofundar nesse assunto porque não quero passar spoilers e nem deixar esse post do tamanho de um dos livros do George R.R. Martin, mas o enredo envolta da mãe delas foi frustrante e acabou sem realmente ter um fechamento.
Pra mim, infelizmente, não foi um livro cativante e por isso provavelmente não vou ler nenhum outro livro da autora ou pelo menos não vou o fazer por um bom tempo.
Em resumo... Fangirl parece um rascunho de livro que precisava de mais algumas revisões antes de ser liberado ao público. Tem uma boa premissa, mas é vazio, como se não tivesse uma alma de verdade. E sem uma alma nenhum personagem ganha vida, e sem os personagens... Não tem história ou estória que sobreviva. Vocês sabem minha opinião sobre a criação de personagens, faça-os bem e se eles comerem merda nós, os leitores, vamos achar que aquilo fez sentido.
E infelizmente, Fangirl de Raibow Rowell não conseguiu me fazer entender completamente seus personagens graças a inconsistência da escrita e no final, o livro não conseguiu me cativar.


Nenhum comentário:

Postar um comentário