sexta-feira, 31 de julho de 2015

O Pote de Glitter Rosa regenerou!

Olá seres humanos!
Vocês já devem ter visto que o blog mudou drasticamente nas últimas horas, e não se preocupem, eu quem estou fazendo isso.
No dia de hoje ainda vou passar um tempo arrumando os links das páginas e alguns detalhes, qualquer bug só vai durar mais umas duas horas.
Agora o porque de ter mudado o nome? Não achem que não gosto mais do OPGR, eu amo aquele nome, mas desde que criei o blog cresci bastante, amadureci e comecei a falar de assuntos mais derivados no blog, o que fez com que um público diferente se aproximasse dos posts. e eu senti a necessidade de encaixar o blog tanto a essa nova versão de mim, quanto aos novos leitores. Venho editando tudo e pensando na mudança já faz meses na verdade, mas resolvi manter tudo em segredo até que tivesse tempo de fazer a mudança total.
E hoje o dia chegou. O design do blog agora é mais sério, vermelho (), mas ainda no mesmo estilo do antigo que vocês gostam tanto.


A mudança é algo relacionado ao meu amadurecimento e também ao público novo do blog. E eu resolvi colocar esse título no post de mudança porque foi exatamente isso o que aconteceu.
O O Pote de Glitter Rosa regenerou, está com uma carinha diferente, mas ainda é o mesmo blog. Espero de coração que tenham gostado dessa regeneração e que se apeguem ao 13 Ideias tanto ou mais quanto eram apegados ao OPGR.

Pulando nessa nova fase com a maior animação gritando GERONIMOOOOOOOOOOOOOOOOOO!

E porque 13 Ideias? É uma brincadeira com minha própria mente. A cada segundo tenho milhões de ideias diferentes, o que torna minha mente uma festa de barulho 24h por dia, resolvi então colocar o 13 que é meu número favorito (E um número primo, o que quer dizer que dá sorte, já dizia Walter Bishop.) para definir o fato de que há milhões de opiniões e ideias diferentes no blog, que ele é uma parte da minha mente que eu compartilho com vocês. 13 ideias diferentes ao mesmo tempo que vocês aprenderam a entender e ás vezes concordar, ás vezes discordar.
13 tem um significado bem grande para mim, tanto na saga A Princesa da Terra, tanto na vida real. É um nome perfeito para essa regeneração.
Basicamente é isso. O blog continua o mesmo, só com uma carinha diferente, então... Até o próximo post! 


quinta-feira, 23 de julho de 2015

OS HUMANOS DESCOBRIRAM TERANIE! (O novo planeta "gêmeo" da Terra.)

Para quem não entendeu o título do post, aqui vai a resposta: em A Princesa da Terra, saga de que sou autora, existe um planeta chamado Teranie que é maior e mais antigo que a Terra e se esconde por magia do nosso mundo. Assim ele existe sem que os humanos saibam da sua existência.
Eu criei essa teoria depois de algumas pesquisas e isso formou boa parte da saga da Annelize e agora eles confirmam a teoria com esse planeta "gêmeo" da Terra e eu estou tendo um mini ataque do coração porque isso é incrível!


Tudo bem que esse planeta não está escondido por magia, mas a existência dele já é algo incrível!
O planeta gêmeo da Terra tem a órbita em volta da estrela com 385 dias, que é pouco mais longa que a descrita pela Terra em torno do Sol. A distância deste exoplaneta à estrela também é apenas 5% maior que a distância Terra-Sol, cerca de 150 milhões de quilômetros.
Planetas que habitam uma estrela são capazes de manter a água em estado líquido, mas não foi dito muito sobre este planeta recém descoberto. Mas seguindo essa teoria este planeta pode ser habitável!
Mas não vamos ficar tão animados sobre isso. O Observador Amaury Triaud disse "Isto é altamente teórico, visto que Vénus e Marte podem ser incluídos na zona habitável (Do Sol.), mas não são habitáveis."
De toda forma isso foi sensacional, pelo fato de uma nova descoberta dentro do nosso universo, e também porque uma teoria minha em um livro agora faz bem mais sentido. Eu AMO quando essas coisas acontecem!
Minha ideia de outro planeta chamado Teranie chegou em 2011/2012 oficialmente e agora a NASA trouxe essa maravilha que deixou meu dia mais feliz.
Sem falar que a prova da existência desse planeta pode ser algo incrível para autores tanto de fantasia quanto de ficção científica pois pelo menos para mim já pularam umas quinze ideias diferentes.
Novo planetas, novas informações sobre Plutão, pois é, o nosso mundo está fazendo descobertas incríveis no ano de 2015.


quarta-feira, 22 de julho de 2015

O Milk-shake de morango perfeito do Walter Bishop.

Recentemente entrei no mundo de Fringe em uma maratona maravilhosa cheia de reviravoltas e mundos paralelos, e uma coisa maravilhosa que temos nesse mundo é o milk-shake de morango, que aliás é a bebida favorita de Walter Bishop, um dos melhores personagens da série. 
Pela internet á fora poucos sites falam sobre a receita desse milk-shake dos deuses, e nenhum dos sites a disponibiliza em português então resolvi traduzir a receita do Walter que é na verdade bem simples e deixar aqui o Como Fazer o Milk-Shake Perfeito do Walter Bishop.


Fazer um milk-shake na verdade é MUITO fácil, e a receita do Walter tem poucas diferenças de uma receita normal dessa delícia cor-de-rosa.
Todos os ingredientes citados abaixo devem ser batidos num liquidificador e pronto. Coloque o líquido no copo e enfeite como quiser, canudinho, calda de morango, ou como na foto do post com o próprio morango no topo que fica um charme.



E NÃO SE ESQUEÇAM DE POR O CHANTILLY NO TOPO! É a melhor parte, haha
E ai, gostaram de ver esse lado culinário do blog? Espero que sim. Até o próximo post.


segunda-feira, 20 de julho de 2015

Os clichês que vemos em livros e a reação da sociedade.

Estava navegando no facebook como faço ás vezes e me deparei com uma conversa sobre livros eróticos e romances e como vários deles tem frases horríveis. A imagem usada para início dessa conversa tinha a frase dita pelo personagem masculino principal assim: Se não fosse igual as putas que eu fodo, não teria aberto sua doce boceta para mim.
E vamos combinar que essa frase é bem horrível. Como autora e leitora tenho conhecimento de uma coisa; o que faz sucesso é o clichê podrinho. 
Em que mundo esse tipo de conversa existiria? Ele poderia dizer sim isso de forma chula e com palavrões, mas esse doce tá meio zoado, e sabe a pior parte? Que ele não é um personagem feito para ser babaca mesmo, não, no final eles provavelmente vão se casar, ter filhos e viver além do arco-íris porque supostamente o cara fodedor que acha que é o dono do mundo e tem o maior pênis do mundo e o melhor mudaria por causa de uma sem sal que não se acha bonita, que é virgem, mas que na primeira noite que transa com ele já sabe as mil e uma posições do Kama Sutra.
Sobre o que esse post é exatamente? As coisas que fazem sucesso por ai, mas que não tem um pingo de novidade.
A base é criar um personagem ruim, babaca com uma infância merda e então aparece essa pobre coitadinha com uma vida simples que conhece o milionário (Porque ele tem que ser milionário ou bandido. Um dos dois sempre.), ela não se acha bonita, mas tem cabelo loiro, olho azul e o corpo da Megan Fox, e ela adora falar mal sobre ela mesma e como ela não pode ser o suficiente para o cara. Sendo que ele é um sem noção que sempre trata ela mal, mas depois dá um presentinho que ela NECESSITA dizer que não pode aceitar porque é demais, mas ele dá um sorriso, ela se derrete e aceita.
Em algum momento ele tem que magoar ela, ela vai se sentir usada e chorar, chorar, chorar, dizer que nunca mais vai vê-lo, mas ele começa a sentir falta da sem sal e entra em desespero, a barba cresce, ele não toma mais banho ou come, não consegue foder outras mulheres e etc, então ele vai lá e faz algo romântico e blá, blá, blá ela aceita ele de volta como uma boa babaca, e ele vira outra pessoa. Ah, e o relacionamento deles só tem três meses.
Ah, e a melhor amiga dele vai namorar o irmão/melhor amigo dele. Não pode esquecer disso.
Aqui está a forma do sucesso nível um para idiotas.
E o pior disso? É que funciona. Porque as pessoas querem esse clichê, elas querem dois babacas se amando, elas querem acreditar que isso é possível e que esse babaca mudaria por alguém como a personagem principal que não tem atributo nenhum a vista dela, mas quando o conhece aparece um milhão de coisas que ela sabe fazer, mas depois que eles se casam ela vira dona de casa mãe das crianças e ela não fez nada além disso e dar pro marido perturbado mentalmente.
Seria melhor matar todo mundo com um apocalipse no final do que deixar essa bosta acontecer.
Pessoas falam palavrão, é um fato, e isso não tem problema. O problema é como isso foi encaixado no livro sendo que esse personagem deveria ser um cara interessante para os leitores se apaixonarem por ele. Eu não consigo me apaixonar por um personagem merda assim, e muito menos pela personagem principal que só tem caráter e amor próprio por duas frases no início do livro.
Não posso falar do livro que eles citaram naquele post, mas no todo dos que já li essa é minha opinião.
Ninguém muda o caráter e forma de agir dessa forma. E principalmente não pelos motivos que apresentam nesse tipo de livro.
Tem tantas formas de trabalhar com um personagem como esse, tantas formas de torna-lo interessante e não um babaca, mas não, escolhem essa forma. Isso sem falar que eu não suporto mais personagens chatas vegetarianas que tem vergonha de tudo e parecem que sofrem de um problema no cérebro que as impede de serem úteis. E o mais sofrido disso é que na maioria das vezes são mulheres quem escrevem essa estórias degradantes em que a mulher é submissa a um babaca que a única coisa boa que tem é a aparência e dinheiro, porque como pessoa ele é um merda que fala esse tipo de coisa.
A personagem principal não toma uma decisão forte, não se impõe nesse tipo de situação, não, ela vira a vida dela de ponta cabeça porque o homem dela se tornar o centro do universo. Ela não fala com os amigos, a faculdade que ela fazia no início virou pano de fundo porque a única coisa que vemos ela fazer é sexo com o personagem principal mal feito que adora falar "pau" "fodendo" "boceta gostosa" e várias coisas como "você é apertadinha" ou "molhadinha para mim". Ela não tem mais uma vida além daquele cara, e ele vive sendo um babaca com ela. Ou não gosta que ela o toque, ou não gosta que ela faça perguntas sobre sua vida, ou nunca a apresenta como namorada porque não quer se ligar com ela, mas se ela está conversando com outro sobre sei lá, frutas, ele já dá um ataque de ciúmes e isso sempre causa uma briga e um ataque de raiva do cara.
É um relacionamento ridículo que não funciona. Não faz sentido, mas estão todos deixando comentários para a autora porque tem sexo, e o mundo é movido a sexo, só que somos falsos moralistas então vamos falar para todos que sexo é errado, mas não tem problema abrir no navegador secreto da internet uns pornô doidão.
Vivemos por mentiras e elas se tornaram tão comuns que estão sendo usadas como verdades. As pessoas não tem problema em ler essas coisas porque a maioria delas é tão tediosa que elas queriam ser aqueles personagem e fazer parte daquilo. Ter horas de sexo, diversão ou algo assim e ter um homem como nos livros as amando por elas serem... Bem, tediosas.
E nesse meio tempo ninguém percebe que isso é meio degradante. E ridículo. Tudo bem que é só um livro, não quer dizer que tudo o que está lá é lei, mas quem apoia isso muitas vezes apoia a ideia do livro. Não é só um passatempo.
Quem não lembra da febre que foi Cinquenta Tons de Cinza? Muitas pessoas que conheço ficaram obcecados pelo livro e começaram a fazer as coisas ditas lá com seus maridos e namorados, mas o problema é que eles não tem noção do que Bondage significa. Isso não é algo que você faz com qualquer um ou pode causar morte.
Isso é algo que você faz com quem confia, e apenas se os dois lados estão interessados nisso, e de forma responsável.
As pessoas querem tanto parar de seguir as regras, quebrar os limites, que encontram nesses enredos podrinhos e clichês que não levam nada a sério uma forma de quebrar as regras.
Eu gosto de criar personagens malvados, mas se eles chegam a se apaixonar eu não os coloco como sensíveis fofinhos com infância de bosta, eu mantenho isso e a personagem pela qual eles se apaixonaram não é uma inocente fofinha que acha que pode consertar o cara, não, ela é foda. Ela luta pelas ideias dela, e amar o personagem principal não é a única coisa que ela faz no livro inteiro, ela lida com as coisas. E eles são parecidos porque no final os opostos NÃO se atraem. Pessoas muito diferentes nunca vão funcionar juntas.
Se você vai criar um personagem e depois fazer ele se apaixonar, então não faça essa bosta de mudar o caráter dele para se adaptar a vida do outro, ou para soar mais doce porque o amor muda tudo. Não, ninguém é capaz de mudar.
O personagem pode EVOLUIR, mas não mudar. Ele continua o mesmo, só que com mais sabedoria.
Se tu quer criar um romance bem feito, não faça isso. Mas tenha em mente de que você poderá nunca fazer sucesso porque as pessoas gostam do simples e fácil, da mesma coisa com poucas alterações, qualquer coisa que for meramente inteligente é ignorada completamente.
Me deixa triste saber que as pessoas tem preferência por mais do que mesmo do que por algo bem feito e interessante, mas a vida é assim, a sociedade é assim, não tenho super poderes para abrir os olhos das pessoas, e principalmente o fazer quando ninguém realmente quer abrir os olhos.
Já vi gente que por causa desses livrinhos de internet que não explicam porra nenhuma e só jogam a informação sem nenhuma responsabilidade falando que "amam incesto", gente, vocês não tem noção do que estão falando.
Eu aceito muita coisa nessa vida. De verdade. Já escrevi muita coisa também, mas escrever um livro com um casal de incesto e apoiar aquilo até o fim, e shipar aquilo, isso é algo que eu nunca vou ser capaz de lidar de um jeito agradável.
Já vi também muita gente comparando suas vidas sexuais a de livros, mas o engraçado é que fazem isso falando com as coleguinhas e reclamando de tudo, mas se estão em um relacionamento não tem coragem de conversar com o parceiro ou parceira sobre isso. Ao invés de melhorar a situação e conversar de verdade sobre o assunto, não, marcam sexo como um tabu, algo errado. Mas quando Cinquenta Tons de Cinza saiu de forma aberta, o que possibilitou que as pessoas tivessem acesso ao livro de qualquer forma, podiam ler no ônibus ou no metrô sem problema algum, sem ser julgados por o estarem fazendo, e se forem é só mentir e dizer qualquer adjetivo ruim sobre o livro.
Ninguém vai notar. Ninguém vai se importar. As pessoas preferem acreditar no mundo dessa forma. Preferem se encaixar ao invés de falar o que realmente pensam.
Eles gostam de mais do mesmo o tempo todo. E depois gostam de negar suas coisas favoritas porque alguém disse que aquilo era errado e todos deveriam dizer amém para isso.
Existem vários tipos de escritores que vou separar por vírgula: escritores, escritores ruins que escrevem esse tipo de romance bobinho com palavras chulas, pessoas que acham que são escritores, pessoas que escrevem por um significado, escritores de alma, e escritores que ficam no desespero mandando você curtir tudo o que é deles.
Mas já os leitores temos menos tipos. Os que só sabem falar mal, os que vão ler qualquer bosta e achar incrível, e os poucos que vão realmente ler uma obra com o coração e opinar com sinceridade.
Não posso e não quero que vocês mudam duas opiniões sobre qualquer coisa por causa do que escrevo no blog, quero que formem suas opiniões sozinhos, que busquem informação e saibam o que é bom e incrível para vocês, não quero que sejam robôs com a mesma opinião de todos. Mas isso é o que eu quero.
E o quê você quer? O quê quer ser?

terça-feira, 14 de julho de 2015

Vídeo: Marvel vs DC

E finalmente tem vídeo novo no canal do blog! E dessa vez com um cenário decente e em HD, como vai ser daqui para frente.


sábado, 11 de julho de 2015

Assisti o pilot de... Fringe!

Olá humanos! Sim, vou classificar esse post como uma parte do famoso Projeto Piloto do OPGR que eu tanto amo fazer. 
Já conhecia a série Fringe faz um bom tempo, mas fiquei enrolando por tempo até demais para começar a assistir a série. Vi alguns episódios aleatórios quando a série era exibida na TV aberta, mas hoje eu estava terminando de ver um episódio de Fairy Tail (Meu anime favorito.) e decidi que queria assistir algo novo, e lá vou eu olhar meu Banco de Séries para achar algo novo mesmo sabendo do fato de que tenho umas mil séries para terminar antes de começar qualquer coisa nova. Acabei me encontrando com três opções, as outras duas ainda estão na geladeira, em breve vou assistir, mas resolvi começar com Fringe, uma série que já teve seu fechamento e eu já havia ouvido tanto sobre, mas acabei me atrasando e só cheguei agora.


A série é incrível. Vi apenas o Pilot de uma hora, mas já estou planejando minha maratona para sofrer com mais uma série.
Fringe fala sobre a agente do FBI Olivia Dunham que junto ao John Scott também agente do FBI é chamada para investigar um estranho acontecimento. Um avião que pousou no aeroporto de Boston com todos os seus passageiros mortos.
As coisas começam a entrar no lugar certo quando John quase morre e Olivia tentando salvá-lo resolve entrar em contato com um homem que há muito tempo não via o mundo do lado de fora. Dr. Walter Bishop, um personagem que te cativa no exato momento em que aparece.
Ele esteve numa instituição psiquiátrica durante os últimos anos e a única maneira de interrogá-lo é através do seu filho, Peter Bishop, já que a única forma de chegar perto do Doutor Bishop é com um parente, de outra forma ninguém poderia visitá-lo.
A investigação da Olivia acaba envolvendo diversos outros agentes do FBI e todos estão prestes a descobrir que o que aconteceu de fato naquele avião e o mais sinistro: Que aquilo foi apenas o começo.
Devo dizer que os personagens que mais gostei nesse pilot foram o próprio Walter e seu filho, o que é bem previsível se você me conhece e conhece meus personagens favoritos.
O pilot foi extremamente interessante e muito bem produzido.
A série foi criada por J. J. Abrams, o ser maravilhoso que trouxe tantas coisas incríveis a vida como os novos Star Trek, ainda fez parte da direção de alguns dos filmes de Missão Impossível (Que eu amo demais!), e para quem gostava de Lost (Eu nunca gostei.ele foi um dos criadores dessa série. É, o cara é foda.
E tem uma maluquice por luzes no meio das telas, mas fica bonito. Uma pena que suas séries mais recentes e muito interessantes, Believe e Almost Human tenham sido canceladas, eu sofro por Believe até hoje aliás.

Cinco borboletas Brilhantes - Eu realmente amei esse livro/filme/série!

A fotografia da série é linda, o enredo é intrigante e interessante e os personagens que podem parecer clichês a primeira vista na verdade são bem mais complexos e incríveis. Lembrando que minha opinião é total sobre o pilot da série, portanto não vou falar mal e nem bem no exato, só vou dizer algo no geral sobre o primeiro episódio da série. E no geral achei tudo muito bem produzido, com certeza é uma série que merece sua atenção, mesmo depois de ter sido finalizada.
Fringe conta com cinco temporadas, cada uma na base de 20, 23 episódios. Jajá começo minha maratona para continuar assistindo essa ficção científica curiosa e incomum e se você quer saber mais sobre segue o trailer da primeira temporada...



Vale a pena assistir.
E vocês, já conheciam a série? São fãs e estão sofrendo de saudade desde o fim? Esse é um ótimo momento de rever a série e me acompanhar na maratona de Fringe, hihi



domingo, 5 de julho de 2015

Estamos acostumados ao mesmo, e isso realmente importa?

Foto bem hipster para ilustrar esse post bem revoltado.
 A base dos blogs de hoje em dia é: É tudo a mesma merda. Só muda o layout, e ás vezes nem isso porque pra quem conhece HTML sabe que é o mesmo modelo, só que com cores e edições diferentes.
E o conteúdo ainda é extremamente parecido. Looks do dia (Que são a mesma coisa só que em meninas diferentes.), resenhas de livros (Que aliás são sempre os MESMOS livros em TODOS os blogs.) posts com dicas de filmes que vão ser lançados em tal mês... Que você já está cansada de saber da existência já que TODOS os blogs citam os mesmos filmes, mas você também tem um blog e quer comentários então o que você faz? Comenta algo legal no post e ainda deixa seu link no final de forma nada sutil.
O ponto de tudo isso? Ninguém se importa com absolutamente nada do que todos estamos falando. Ninguém se importa com nada desde que eles não ganhem nada de volta, agora se você vai ganhar alguma coisa por criar tal post ou deixar tal comentário, opa, virei fã número um de tal produto e tal blog. Essa é a realidade.
Ninguém realmente se importa com o que você está vestindo e todos estão cansados dos mesmos posts de dicas que... Bem, nunca mudam. São a mesma coisa, só que com uma fonte diferente no corpo do texto e as pessoas visualizam por curiosidade e comentam pelo único motivo de saberem que a pessoa do outro lado vai ver o link deles e comentar também. É tudo uma troca, e se seu blog é pequeno e desconhecido ele vai continuar sendo assim porque nenhum dos grandes vai querer te ajudar porque eles são grandes e continuam crescendo cada vez mais. E porque? Porque são os mesmos blogs sobre as mesmas coisas.
E você quer ganhar dinheiro com blog? Ninguém que está lá em cima vai te ajudar. É a hierarquia. Você já deve ter visto um milhão de vídeos e posts sobre como ganhar dinheiro com isso, mas no final as blogueiras falam, falam, falam, mas não falam nada porque o que elas vão ganhar dizendo qual é o plano mágico de se dar bem com blog? Isso derrubaria toda a magia que faz com que os blogs pequenos continuem pequenos e os grandes cresçam cada vez mais.
"Ai Stephane você está sendo uma chata." Pode ser que esteja sim, mas isso é verdade.
Estamos todos acostumados com a mesma coisa, o mesmo conteúdo e as mesmas opiniões e quando algo muda ninguém gosta porque quer pagar de certinho moralista.
Todos ficam postando textos inspiradores sobre como devemos mudar o mundo e etc, mas ninguém é capaz de levantar a bunda e fazer alguma coisa que preste, porque se levantam e vão fazer algo é destruição, é quebra-quebra e nada inteligente.
Do que adianta todos brigarem tanto e destruírem tanto em manifestações se a maioria só está lá para dizer que foram em tal manifestação do facebook e postar foto de ódio no twitter com hashtags de muda o mundo ou derrube a Dilma. A maioria nem sabe do que estão falando ou pelo o que estão lutando, só estão lá por que alguém disse que isso ia mudar o Brasil, mas ninguém teve a capacidade de perguntar o porquê já que somos um bando de acomodados que fazem exatamente o que alguém manda. É tudo a base de "Faça!" e todos responderem com "Amém!" e acharem que isso faz alguma bela diferença.
Tudo é a mesma coisa com pequenas diferenças e ninguém realmente quer algo novo porque podemos sim ficar gritando aos quatro ventos que estamos querendo mudar alguma coisa e que estamos lutando, mas se essa mudança chegasse todos os que diziam que estavam lutando iam arrumar um motivo de reclamar do que eles tanto pediram que chegasse e isso porque desde o início ninguém nem sabia pelo o que estava lutando.
Somos seres que falam, falam, falam, falam, e falam mais um pouco, mas na hora que as coisas apertam saem correndo porque não querem ser os primeiros a levar a multa da vida.
Ninguém é gentil sem pedir nada em troca, ninguém é legal sem querer algo em troca e raras são as pessoas hoje em dia que fazem uma bondade apenas por fazer e não por seus motivos estúpidos pessoais de querer parecer bonzinho. Mas o fato é; a internet é um lugar onde podemos ser o que bem quisermos e tudo bem, mas no final do dia você é o que reflete no espelho. Não importa quantos milhares de seguidores tem e muito menos quantas curtidas numa frase revoltada do facebook você teve. O que importa é: você fez alguma coisa para mudar isso ou apenas reclamou?
Você contou suas dificuldade para ajudar alguém que está tendo um péssimo dia ou para conseguir atenção? Quantas mentiras para parecer "legal" você contou hoje?
Quantos conteúdos que funcionaram em algum lugar você copiou porque queria o mesmo que essa pessoa tem?
É triste chegar ao meu blog e ver que ninguém se importou em comentar apenas por gostar do meu conteúdo, é claro que é, mas prefiro que seja assim e eu continue sendo eu mesma ao invés de fingir ser um ser humano perfeitinho e maravilhoso e conseguir milhares de seguidores e comentários aqui e ali por uma mentira ou porque todos sentem pena de uma historinha triste que contei.
Já desabafei muito por aqui, e já fiz posts com todas as minhas opiniões sobre os mais variados assuntos, mas me mantenho ligada a este pensamento: podem me oferecer um milhão para falar algo que não quero dizer e vou negar porque me importa mais o que eu acho de mim sozinha, do que milhões de outros acham de mim quando estou rodeada de pessoas.
Há sempre dois lados da história e em um deles sempre vai ter um monstro, e o trocadilho é que nem sempre são dois personagens diferentes.
Você quer fazer um pouco mais do mesmo? Então faça porque a única pessoa que vai arcar com as consequências de seus atos é você mesmo e desde que você esteja feliz com isso, então qual é o problema?
Quer fazer algo diferente? É a mesma coisa. Tudo é a partir de nossas decisões. Ninguém pode dizer o que devemos ou não fazer, bem, até podem, mas quem escolhe o fazer ou não é você.
O que conta no final não é quem me ama ou ama meu trabalho ou minhas aleatoriedades, é se eu amo meu trabalho e minhas aleatoriedades.
Você ama o que faz e o quê é? Então foda-se o resto.