domingo, 30 de novembro de 2014

Uma delicia, malvadão, caiu do céu (literalmente), e não sente nada. WHAT?! (Livro Hush Hush)

Oi estrelinhas!
Olha só mais uma Stephane lendo livros sobre anjos, que estão virando uma febre muito grande. Pois é, foram vampiros, lobinhos, e agora são anjos. Tá todo mundo apaixonado por um anjo hoje em dia, até o Castiel perdeu a virgindade em Supernatural meu povo! O mundo está caindo em pedaços!
E sobre qual livro estou falando? O primeiro lindão da saga Hush Hush! Bora lá Patch, vamos fazer os leitores do OPGR fazerem umas leituras em Latim pra você sentir alguma coisa porque tá difícil a vida de anjo caído.
----------------------------------------------------------------------------------------------------
Este post contém trechos do livro, mas nada aqui realmente irá interferir em sua experiência com a saga ou passar grandes spoilers. Aproveite =)

Capa linda do primeiro livro da saga e ao lado os modelos que interpretaram nas capas Nora e Patch. 

Livros sobre anjos tem se tornado cada vez mais comuns com o tempo, a formula deu certo! Anjos caídos se apaixonando por mortais, essa é uma fantasia de muitas pessoas já que dizem que os anjos são incrivelmente lindos. Já outras versões dizem que eles não tem sexo e são guerreiros fieis a Deus, e aqueles que não acreditam no que Ele prega, caem, e se tornam malignos, assim como o original que vem da bíblia falando sobre Lúcifer, o anjo que caiu e virou o rei do inferno. Pois é, criar enredos paralelos a isso virou moda, mas mesmo na moda alguns livros desse assunto são realmente bons, assim como outros só de fato seguiram a moda sem nada demais. Já falei sobre Fallen aqui, e hoje é dia de falar um pouco sobre Hush Hush, o primeiro livro da saga que leva este nome mesmo "Hush Hush", da escritora Becca Fitzpatrick. É gente, não tem nadaaaa haver com a música Hush Hush da Avril Lavigne. (Para quem nunca ouvi, aqui o link.)

 SINOPSE: Se apaixonar nunca foi tão fácil… ou tão mortal. Para Nora Grey, romance não era parte do plano. Ela nunca se sentiu particularmente atraída por nenhum garoto de sua escola, não importa o quanto sua melhor amiga Vee os empurre para ela. Não até a chegada de Patch. Com seu sorriso tranquilo e olhos que parecem enxergar dentro dela, Nora é atraída por ele contra seu bom senso. Mas após uma série de acontecimentos aterrorizantes, Nora não sabe em quem confiar. Patch parece estar onde quer que ela esteja, e saber mais dela do que seus amigos mais íntimos. Ela não consegue decidir entre cair nos braços dele ou correr e se esconder. E quando tenta encontrar algumas respostas, ela se acha próxima de uma verdade que é bem mais perturbadora do que qualquer coisa que Patch a faça sentir. Pois Nora está bem no meio de uma antiga batalha entre os imortais e aqueles que caíram – e, quando se trata de escolher lados, a escolha errada poderá custar sua vida.

 A capa: Gosto que a capa de Hush Hush seja bem direta ao assunto do livro, anjos caídos. Mas, o que me incomoda é que Fallen tem uma capa adolescente e é mais sombrio que Hush Hush, e este livro tem uma capa mais adulta... E é um livro escrito para adolescentes com os hormônios a flor da pele.
Mas, isso não tira a beleza da capa que é simples e direta como citei antes, e ao mesmo tempo é lindamente incrível, gosto bastante da capa de Hush Hush. =)

 O enredo: Como disse ali no comentário da capa Hush Hush é um livro adolescente, e comparado a Fallen é um pouco mais simples. E um pouco mais cheio de momentos mais sexuais do que delicados, não galera, calma, não tem nada demais, mas o ar da situação é sempre mais para o primeiro lado, do que o lado do amor por boa parte do livro, até que você se entende com os personagens e a atração física vira carinho. O legal é que a autora soube deixar o personagem Patch (Interesse amoroso da personagem principal.) com o mesmo tom de sempre, e mesmo assim demonstrar que ele se importava com a Nora, e acreditem, como escritora sei que isso não é muito fácil.
Homens apaixonados ficam sim mais doces, mas eles ainda tem um caráter estabelecido anteriormente, e mesmo que o personagem vá crescendo nas páginas, ele ainda tem que ter aquele pontinho que o fez desde o início quem é, e no livro mesmo depois que o personagem assume o amor pela Nora, como se é de esperar em um romance, ele continua sendo... Bem, o Patch. Que com certeza é aquele personagem malvadinho que você garota, e alguns garotos, com certeza iram se apaixonar, mas há um detalhe, Patch não pode sentir nada fisicamente falando! Isso me deixou tão meio depressiva e triste que quase desisti da saga e ainda estou meio que enrolando pra continuar lendo, afinal, isso é triste.

 “Você tem medo de todos os caras... ou só de mim?”
Eu girei meus olhos, como se para dizer que não ia responder uma pergunta tão insana.
“Eu te deixo desconfortável?” Sua boca permaneceu uma linha neutra, mas eu detectei um sorriso de especulação preso atrás dela.
Sim, na verdade, ele tinha esse efeito em mim. Ele também tinha a tendência de apagar todos os pensamentos lógicos da minha mente.

Sobre a personagem principal, ela é uma adolescente comum, tem problemas pessoais, vai pra escola, mas se mete em muita confusão! Assim como toda personagem principal existente.
Nora é convincente como personagem, e em certas horas divertida e um pouco confusa. O enredo se desenvolve ao seu redor, e é um enredo adolescente, porém interessante.
Conforme fui lendo acabei me deparando com um universo comum, a garota que não gosta de sua aparência embora seja mais bonita do que muita gente por ai, a bitch do colégio, o gostosão malvado inalcançável que acaba gostando da garota citada inicialmente, a levando pra lugares estranhos e testando sua sanidade mental entre ataques de terror por razões que você só descobre bem mais tarde no livro.
Hush Hush também tem toda aquela situação da personagem não descobrir o que é o garoto até boa parte do livro, assim como todo romance sobrenatural, mas a descoberta é interessante e os motivos igualmente.
Embora o central seja um pouco adolescente demais até, o enredo é bom, e os personagens também são.

Três borboletas Brilhantes - Melhor que duas né!

Cheio de suspense o livro te prende até o fim com a curiosidade de saber mais e mais sobre, e quando você descobre, tudo é levado de forma maravilhosa até o fim. Final esse que te deixa curiosa sobre os próximos livros, mas o fato decepcionante de Patch não sentir nada fisicamente me deixa um pouco triste, afinal, imagine só você amar alguém, ir abraçar essa pessoa e não sentir nada? Isso é depressivo.
Mas, mesmo assim o livro é bom e interessante e o relacionamento da Nora com o Patch é legal de acompanhar, mesmo com alguns momentos bobos ali e aqui no enredo, o livro te cativa. =)
----------------------------------------------------------------------------------------------------
Mais uma saga, acho que to ficando meio maluca com essas coisas e necessito terminar todas elas logo haha
O post de hoje foi simples e espero que tenham curtido, e espero também comentários sobre o livro! E... Vejo vocês no próximo post! =D

xx
Stephy.
(Escritora má, Patch não sente nada fisicamente =(
Isso deve ser frustante! Já está sendo frustante pra mim, imagina pro Patch e pra Nora? Ai que tristeza...)

sábado, 29 de novembro de 2014

Viagens da Cássia #5: Londres durante a noite!

Olá estrelinhas!
Olha só o que está de volta! Os posts com as viagens da minha tia Cássia por Londres e Paris, ela me mandou fotos lindas e novidades incríveis dos lugares. São mais de duas mil fotos e as melhores serão postadas exclusivamente aqui no blog! Espero que todos vocês gostem.
E hoje o post é um especial noturno cheio de magia! A Cássia mandou fotos do Big Ben e do London Eye durante a noite e realmente, essa é uma visão linda!
----------------------------------------------------------------------------------------------------


 Cássia: Olá pessoal, hoje fui dar uma olhadinha na London Eye e no Big Ben à noite, e achei o máximo! A London Eye hoje estava mais iluminada que o Big Ben, mais valeu a pena, a vista da Westminster Bridge é magnifica, estava friozinho hoje, mais tudo fica muito bonito à noite em Westminster. E para quem gosta de Museu, dêem uma olhadinha nas fotos que tirei do Britsh Museum. =)





Londres durante a noite é maravilhosa não é galerinha? De dia ou de noite Londres é simplesmente mágica! <3
----------------------------------------------------------------------------------------------------
E ai, gostaram do post especial noturno? Eu amei!
Por hoje é só, mas logo logo tem mais coisas super especiais diretamente de Londres só pra vocês que seguem o blog!
Vejo vocês no próximo post.
xx
Stephy.

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

NÃO JULGUE ESTE POST: Cinquenta Tons de Cinza não é tão polêmico assim.

Olá estrelinhas!
Este post é só mais um daqueles posts que começa na depressão do universo, mas termina bem, fiquem tranquilos. Eu como boa Winchester que sou me mudei novamente, é, to vendo as caras feias, mas gente é assim comigo. To sempre me mudando, mas dessa vez pra por internet novamente foi uma merda.
Acabei mudando de provedor, ficando sem internet por meses e quando a internet finalmente chegou, era a versão sem wifi. Sem comentários, sério, é difícil ser eu, mas não posso reclamar que falta ação na minha vida porque to sempre pulando de um lugar pro outro e resolvendo problemas alheios enquanto os meus problemas ficam lá no baú de tristeza da mente. Tá, chega, to ficando chata.
Resumindo tudo isso é isso mesmo que você leu acima. Fiquei sem internet e precisei sumir, por isso os emails não foram respondidos e o blog ficou sem atualização nenhuma, MAS, a volta do blog vem com polêmica, só que não.
Como o título já diz, este post é sobre o livro Cinquenta Tons de Cinza que eu resolvi finalmente ler e formar então a MINHA opinião sobre ao invés de viver baseada nas resenhas alheias, então bem vindo de volta ao blog e se divirta com este post.
----------------------------------------------------------------------------------------------------
Aqui você vai encontrar pequenos spoilers sobre o livro, mas totalmente necessários para que eu expresse minha opinião sincera sobre. Leia colocando sua conta em risco.

Capa do livro e foto oficial do filme com os atores que interpretaram os personagens principais no cinema.
Antes de falar sobre capa, enredo e etc como em qualquer outro post de livro que venho fazendo faz pouco tempo no blog lá vai minha história com esse livro.
Eu só tinha pensamentos PÉSSIMOS sobre ele pois uma amiga muito querida minha foi quem o apresentou (Não exatamente, explico depois.) para mim e puta merda, ela falava cada coisa que eu ficava meio "Putz, isso é perturbador." e sem falar no fato de que ela estava obcecada! EXTREMAMENTE obcecada pelo livro e isso era ainda mais perturbador, ela só sabia falar disso e com a pouca informação que tinha só me veio a mente que o livro era sacanagem e nada além disso, afinal, este é colocado nas bancas como livro erótico, mas quando isso aconteceu me neguei a ler a saga e explicando o "não exatamente" acima: Em um dia comum estou navegando na internet e um site super conceituado fala sobre um livro chamado Cinquenta Tons de Cinza, e quem diabos vai pensar que esse nome é nome de livro erótico pelos sete infernos? Então lá está o link do primeiro capítulo que leio rapidamente e não vejo muita graça então curiosa como sempre busco mais informações para poder descobrir o final do livro, eu sou maluca com essas coisas de final, tanto que leio o final de todos os livros antes de realmente ler o livro e se não me agradar, não leio. MAS, nessa curiosidade me deparo com a notícia de que este é um livro erótico e nos meus 15 anos fico meio assustada e acabo deixando pra lá, e nisso algumas semanas depois essa minha amiga aparece totalmente obcecada sobre o livro e aquilo me deixava confusa, tudo bem, eu fico obcecada por muitas coisas malucas e pesquiso até o fim do universo para saber tudo sobre isso e falo pra caramba sobre os assuntos com ela e minha mãe também e as duas me olham com cara de infinito pois estou sendo irritante demais falando sem parar, mas a forma como ela reagiu aquele livro me deixava mais confusa que as reações de pessoas em casamentos e acreditem, isso é um nível completamente surreal.
MAS, novamente voltamos a este assunto: reações. Naquela mesma semana eu vi milhares de pessoas com esse livro no metrô, no trem, no ônibus e as pessoas que falavam sobre o livro pareciam obcecadas como se aquilo fosse o último copo de água no meio do deserto e eu não entendia já que todas as resenhas que procurei pra tirar minhas dúvidas falavam muito mal do livro e só destacavam uma coisa: O sexo. E era só isso como se não existisse mais nada no livro, e pra quem não leu e lê tantas resenhas falando o mesmo isso se torna assustador, afinal, como algo assim pode fazer tanto sucesso? Sexo vende, isso é um fato se não filmes pornôs já estariam extintos do universo, mas como na literatura algo poderia parecer tão interessante para uns e tão horrível para outros e ao mesmo tempo tem aquilo que ambos concordando, o sexo de todas as formas assustando um pouco quem estava acostumado com Harry Potter e toda a forma épica de enredo, de todos os ângulos Cinquenta Tons de Cinza era basicamente e apenas sobre sexo na minha mente e então aquilo me afastou do livro por quase dois anos... Até uma semana atrás.
O trailer saiu, pessoas comentaram e eu curiosa ligo o computador e vou procurar o trailer, não faria mal assistir a minha visão... E então me surpreendi um pouco. Não era absolutamente nada do que eu esperava que fosse.
Um dia se passa e eu fico pensando nisso depois de ler os milhares de comentários no youtube e em sites sobre o trailer e lá vou eu mostrar o trailer pra minha  mãe e ao final ela pergunta, "Ué, mas eles tem um relacionamento então?" e eu fico com cara de infinito e respondo sim pois aquilo era o que o trailer passava. E eu fiquei perturbada! Dois dias pensando sobre como toda a informação que recebi no ano anterior não fazia sentido com o que vi no trailer, parecia que tinha algo errado e resolvo ler o livro... E a coisa fica cinquenta tons mais escura.

 SINOPSE:Quando Anastásia Steele entrevista o jovem empresário Christian Grey, descobre nele um homem atraente, brilhante e profundamente dominador. Ingênua e inocente, Ana se surpreende ao perceber que, a despeito da enigmática reserva de Grey, está desesperadamente atraída por ele. Incapaz de resistir à beleza discreta, à timidez e ao espírito independente de Ana, Grey admite que também a deseja - mas em seus próprios termos. Chocada e ao mesmo tempo seduzida pelas estranhas preferências de Grey, Ana hesita. Por trás da fachada de sucesso - os negócios multinacionais, a vasta fortuna, a amada família -, Grey é um homem atormentado por demônios do passado e consumido pela necessidade de controle. Quando eles embarcam num apaixonado e sensual caso de amor, Ana não só descobre mais sobre seus próprios desejos, como também sobre os segredos obscuros que Grey tenta manter escondidos.

 A capa: Essa capa me dá uma agonia básica por motivos de: É a gravata do Christian Grey. E quem leu o livro sabe no que essa danada se meteu, e não foi nada ruim pra personagem principal.
A capa passa o conteúdo do livro de um jeito enigmático e falando em design, a capa é linda.

 O enredo: O livro é assustadoramente mal escrito? Ou mal traduzido porque o tanto de "eu" que se encontra em cada frase me fazia virar um corretor humano e toda vez que lia algo errado meu cérebro corrigia automaticamente e eu torcia o nariz.
Primeiramente: Nunca vi tanta comoção desnecessária por causa de um livro, parece que estamos no século dezenove. Okay, Grey realmente apresenta um contrato para que Ana seja sua submissa sexualmente e seguindo regras bem rígidas e perturbados e se ela quebrar as regras ele pode puni-la fisicamente como desejar, pra mim isso foi a coisa mais assustadora do livro porque sou uma pessoa que se nega completamente a seguir regras e ser controlada, isso me deixou com cara de infinito.
Apanhar? Nem da minha mãe eu apanhei na infância, como, em que universo, e porque eu deixaria um homem me bater? Tá maluco? Mas essa é a MINHA opinião, e a personagem partilha apenas metade dela.
Pra mim esse é realmente o único ponto de se torcer o nariz e ficar com um pé atrás no livro, que mesmo com o tema erótico é extremamente bobo.
Com as resenhas que li era basicamente isso que entendia do enredo: A personagem assinou o contrato pra ser submissa sem nem ler, fez um sexo maluco com o cara rico e gostoso e virou submissa dele. MAS NÃO, é completamente mais profundo e diferente do que isso. Continua bobo? Sim, MUITO, mas aqui está a questão... Não era nada do que imaginava inicialmente que fosse. E é bem ai que vem minha frase de sempre: Nunca fale mal de algo antes de realmente saber do que se trata.
Anastásia nunca assinou o contrato de ser submissa, apenas um contrato que dizia que ela não poderia falar sobre o que acontecia entre ela e Grey e de qualquer forma o contrato de submissa não tem nenhum valor legal e ela tinha total controle sobre as coisas que Grey ia fazer com ela. Ela se sentia atraída por ele e tomou a decisão de ir atrás disso e ele sem saber que ela era virgem, mas tendo noção de que ela era bem inocente na questão sexo antes de qualquer coisa disse a ela que ele não era homem para ela e depois de várias situações ele a leva para sua casa com a desculpa de explicar os motivos dele e a situação de um possível "relacionamento" com ele e como isso seria. E ali ele fala do Quarto de Jogos como ele gosta de chamar e a cena me causou risadas e depois uma cara meio "WHAT THE FUCK", embora já esperasse o que aconteceria a seguir e sinceramente? Ana foi curiosa, perguntou o necessário e teve uma reação que foi... Normal. Ela se sentia atraída por ele, viu aquilo, levou um susto e fez perguntas pra ele sobre o que aquilo era exatamente e então um assunto levou ao outro e ela acabou soltando que era virgem e ele ficou chocado porque mesmo com o que fazia no "Quarto de Jogos" com suas submissas ele nunca ofereceria esta proposta a ela se soubesse que era virgem. E a questão que leva a todo o restante do livro e que torna tudo menos chocante e menos polêmico e menos tudo que ouvi sobre o livro: Ele sempre pede a permissão dela pra fazer as coisas.
Ela perdeu a virgindade com ele porque quis. Várias vezes ela teve a oportunidade de ir embora e abandonar toda essa maluquice de Dominador e Submissa, e todas as vezes ela voltou pra ele e do jeito dela de agir e da forma dele de agir ambos se descobriram de uma forma que sozinhos não poderiam. Ana descobriu sua sexualidade, sim, obvio, mas ela também começou uma jornada de autoestima e toda essa frescura. Eles tiveram um relacionamento muito intenso, mas tudo o que foi feito e dito ambos estavam de acordo com isso.
E mesmo com a escrita meio pobre a autora soube levar a Anastásia inocente até não-culpa de sentir prazer nas coisas que o Grey fazia de forma interessante, ela nunca dormiu com outro homem e suas reações as coisas que aconteciam era de se entender e diferente das personagens que vemos por ai que são virgens, mas no dia em que vão pra cama pela primeira vez com um homem já sabem tudo, Ana não teve isso. Ela realmente aprendeu tudo conforme as coisas foram chegando.
O que mais me deixou "Putz, que merda." no livro foi a parte de surras porque isso é extremamente estúpido. Até entendi tapinha no traseiro e etc, mas o final do livro... E de toda forma gostei de como os pensamentos da personagem foram, ela escolheu isso. Ela aceitou isso e fez isso por conta própria, ninguém a obrigou a fazer nada e isso deu um ponto positivo no livro porque geralmente só temos aquelas personagens chatas que acham que a culpa é de todo mundo, menos delas.
Ana me irritou em parte com a situação de não aceitar presentes, mas toda personagem clichê assim me irrita nesse ângulo. Pra mim se você ganha um anel de diamantes, ganhou, não tem que ficar com isso de eu não posso aceitar porque é muito caro, mas essa não é uma birra só com essa personagem e sim com várias então não é tão... Wow.
Agora sobre o Christian Grey... Cacete cara (Desculpem o palavreado.), qual seu problema? Okay, algumas coisas até entendi nessas maluquices extremas e no "Quarto de Jogos", ou na língua da Ana que achei bem mais apropriado "O Quarto Vermelho da Dor", mas algumas coisas... Me fizeram querer ler o próximo livro só pra entender a mente desse ser que não parece humano! Deu vontade de abrir o cérebro dele e estudar porque sinceramente, o cara tem vários problemas que nem os melhores psicólogos no mundo inteiro poderiam resolver... E mesmo assim ele é extremamente charmoso e muito gostoso pra usar a palavra certa, o cara parece ter tudo e essa coisa de "Eu faço porque eu posso." é muito legal. É por causa dessa postura que personagens como Damon Salvatore, Eric Northman e a maioria dos "bad boys" são tão amados pelas mulheres, porque eles fazem o que querem e da forma que querem pelo simples fato de que eles podem e isso é atraente, principalmente quando esse ser é gentil e carinhoso com a personagem principal porque mesmo que ele possa fazer tudo e a tratar da forma que quiser porque ele tem dinheiro ou um grande poder, dependendo do personagem, ele está lá, amando a pessoa. E é extremamente interessante o relacionamento do personagem alá bad boy e da mocinha porque ele tem tudo na mão e ela não gosta da atitude que ele tem sobre as coisas no mundo e o desafia como os outros tem medo de fazer e isso gera uma tensão e uma química sensacional pra um livro e mesmo nas perturbações de Grey, a inocência da Ana e todos os problemas possíveis isso estava presente em todo o livro e você acaba entendendo todos os motivos pra Ana se apaixonar por alguém tão cheio de problemas e perturbador como Christian Grey. Mesmo com a sua maluquice de que não gosta que as pessoas o toquem ou a sua extrema maluquice acima da linha de normalidade, bem acima até, sobre ser controlador com tudo e todos a ponto de querer por seu relacionamento, mesmo gostando muito da Ana, em um contrato só pra ter o controle de como todas as coisas vão ser.
Eu, NUNCA em toda minha vida me submeteria ao que a personagem se submeteu porque a minha personalidade é tão forte que eu nem se quer chegaria a página 10 do enredo do livro. Mas a questão não é essa, a questão é compreender os motivos da personagem e eu compreendi. Talvez seja porque sou bastante mente aberta e não ligo muito pra como as outras pessoas levam a vida porque isso não muda nada na minha vida, mas sinceramente? Entendi a Ana, entendi o Grey (Mesmo na confusão toda e ainda não sabendo o segredo que o deixa tão perturbado sobre não querer ser tocado por ninguém.) e entendi o relacionamento deles e até fiquei com o coração na boca com os acontecimentos finais do livro que me deixaram super chateada com ambos os personagens pela forma como as coisas aconteceram e ainda assim eu entendi e isso é incrível porque se você entende os personagens, então não importa se eles rolaram na merda você vai saber o motivo e isso não vai parecer ruim.
Cinquenta Tons de Cinza não é o melhor livro o mundo, é bobo mesmo no tema erótico, os comentários que fizeram sobre o livro até hoje são muito exagerados porque pra mim foi só mais um livro com romance e muito sexo, e cá entre nós, hoje em dia isso se vê até no filme que passa na Tela Quente da globo mesmo que com algumas cenas cortadas.

Três borboletas Brilhantes - Melhor que duas né!

É forte? Em vários ângulos sim porque muita gente não tem acesso a nem um pontinho entre milhões do que a autora colocou ali no livro, e a opinião das pessoas é meio que "Nossa, se isso está no livro então estão julgando que todas as mulheres fariam o mesmo, isso é uma afronta!" mas as coisas não são bem assim, só porque fulano gosta de morangos isso não quer dizer que você é obrigado a gostar, da mesma forma que só porque um livro fala de sexo dessa forma não quer dizer que você deva lagar tudo e ir fazer maluquices com seu namorado, namorada, marido, esposa e etc.
As pessoas tendem a exagerar na dose, é só um livro, não tem necessidade de colocar tudo isso em cima do que está lá. Tudo o que li sobre o livro foi tão exagerado dado ao mundo atual que cheguei a me assustar e quando li o livro, acabou por não sendo tão horrível porque mesmo com todo o sexo e coisas inusitadas, existe um relacionamento entre os personagens e acima de tudo, consentimento. Tudo foi feito por escolha deles e poderia ter parado por escolha deles também.
Resumindo tudo isso a polêmica de Cinquenta Tons de Cinza tem base apenas no fato de que as pessoas se sentem culpadas por gostar do livro ou por odiá-lo por causa do conteúdo erótico e pra pagarem de politicamente corretas as pessoas falam mal e julgam todo o enredo se baseando apenas no fato do erótico e não nos outros pontos. No ano em que estamos já vimos coisa demais pra reclamar de um livro erótico que fez sucesso no mercado.
Não gostou? Okay, isso é opinião. Gostou? Okay, isso também é opinião.
Agora aumentar a situação toda de forma tão polêmica, exagerada e dramática quando o assunto não é nem uma grama disso isso é falso moralismo. Porque? Olhe tudo o que o mundo presa, o carnaval, o funk, o rap tanto brasileiro quanto americano... Nada mais são do que palavras que incitam o relacionamento físico e então um livro o trata de forma explicita e todos resolvem virar críticos e achar que tem toda a razão do mundo em falar que o livro é uma bosta pela forma como trata a mulher, o sexo e tudo mais sendo que tudo lá foi aceitado por ambos os personagens e não pela pessoa que está lendo.
Este deveria ser só mais um livro do tema erótico, mas com os comentários positivos e negativos o livro se tornou um gigante e fez o sucesso que fez agora se tornando um filme e acreditem, com o lançamento do filme vem muita coisa ainda por ai meus amigos... Muita polêmica porque afinal é um livro erótico se tornando um filme erótico que vai para o cinema e terá nudez frontal de ambos os sexos. Isso vai ser um choque principalmente com os detalhes do livro e a parte de sadomasoquismo, e eu vou me divertir lendo os comentários porque as opiniões sobre esse enredo são tão opostas que acaba sendo engraçado.
Num resumo do resumo a única coisa que me fez torcer o nariz realmente foi tudo isso de surrar caso a personagem fizesse algo errado e isso realmente não foi nada legal porque o restante foi um enredo até interessante de acompanhar e no tema em que se baseia foi um bom livro.
O romance dos dois é legal em parte pra se acompanhar, mas tenho aquela ideia de que o final de tudo vai ser clichê então isso me atrasa no pensamento de continuar a saga que é tão boba, afinal, no início era apenas uma fanfic intitulada "Mestre dos Universo", nome que você se ler vai achar na descrição de Grey nos pensamento da Ana em uma cena, que era sobre Crepúsculo, uma saga que gosto bastante mas de épica não tem nada e como toda fanfic é tudo bem clichê e bobo. É um livro pra se ler, comentar, e pronto, não tem nada demais nisso.
Minha única real curiosidade deixada pelo primeiro livro é descobrir o segredo de Christian Grey e o que o faz reagir dessa forma a tantas coisas porque a explicação no primeiro livro não é tão clara e talvez por isso leia o segundo, mas como já li o final do terceiro e o final não me agradou provavelmente não continuarei.
E é isso, Cinquenta Tons de Cinza não é assim tão polêmico quanto achei que fosse, chega a ser bobo e as cenas de sexo são a crise de meia idade da autora como ela mesma disse. Todas as suas fantasias sexuais estão ali e pra ser sincera pelo menos no primeiro livro não tem nada tão assustador, tem gosto pra tudo não é? Uns gostam disso e outro daquilo e etc... Quem sou eu pra dizer que eles não podem gostar? Isso se faz no quarto e só é preciso do consentimento das pessoas envolvidas então pra mim falar disso como se fosse o fim do mundo é fazer tempestade em um copo de água.
É só um livro, não uma revolução e se as pessoas tratassem assim ao invés de levar pro lado pessoal não haveria tanto problema, mas ai não haveria sucesso nenhum e nós não estaríamos aqui hoje não é? ;)
----------------------------------------------------------------------------------------------------
E este foi o post polêmico de hoje, depois de tantas opiniões sobre esse livro lidas estava mais do que na hora de ler a obra e opinar de verdade ao invés de só se basear na opinião alheia, e olha só no que deu!
Pois é, pois é, o povo é muito exagerado e Cinquenta Tons de Cinza não é tão perturbador quanto as informações que recebi me diziam ser.
Ficou curioso sobre? Assista o trailer e leia o livro pra ter então seus próprios comentários e opinião sobre.




Espero que tenham gostado do post e vejo vocês no próximo. =)
xx
Stephy.
Galerinha, os posts com tudo sobre a viagem da Cássia por Londres e Paris vão continuar viu? Vão vir um tiquinho atrasados, mas vão vir!
O blog vai voltar ao normal agora. =D